Habilidades do Futuro

 

O mundo está evoluindo com tamanha velocidade que, de acordo com o relatório do Word EconomicForum (WEF), um terço das habilidades consideradas essenciais no mercado de trabalho de hoje não serão mais necessárias até 2020. Este é um dado assustador para pessoas que não estão conectadas as novas tendências. Imagina você não utilizar metade das habilidades tanto se preparou com base nos modelos atuais. E ainda perceber que precisa desenvolver diversas outras habilidades para se mantar no mercado de trabalho e ainda competir com jovens que já vem com a maioria dessas habilidades prontas da era digital.
Portanto, para acompanhar o ritmo de todas as mudanças, precisamos nos armar de algumas dessas habilidades e aprimorar aqueles que já possuímos para manter nossa competitividade e saber jogar o jogo do mercado de trabalho que vem “mudando as regras” constantemente.
Separamos abaixo duas listas que explicam com um enfoque diferente essas novas habilidades requeridas para complementar sua reflexão. Cabe observar como há similaridade entre os dois estudos que embora diferentes, seguem um raciocínio bem parecido.
1. As 4 habilidades do Futuro, por Murilo Gun.
Para Murilo Gun, humorista, palestrante e professor de criatividade, metade das profissões tem uma alta chance de ser automatizada nos próximos 20 anos e o sucesso profissional no futuro está diretamente ligado ao desenvolvimento de quatro habilidades que tornam a inteligência humana um complemento indispensável ao avanço tecnológico.
De acordo com a teoria dele são quatro as inteligências que devem ser desenvolvidas para ter sucesso no mercado atual e no futuro:
 Inteligência interpessoal: Capacidade de se relacionar, pessoalmente e profissionalmente, com outras pessoas, além de entender seus desejos e pensamentos, para conseguir conectar-se com elas. Tem muita relação com a capacidade de liderança.
– Inteligência intrapessoal: Tem a ver com a capacidade de conectar-se consigo mesmo. É conseguir alcançar autoconhecimento e autocontrole, dominando melhor, assim, emoções e estresse.
– Inteligência criativa: É a habilidade de pegar qualquer uma das demais inteligências e aplicar de forma inovadora. Ser capaz de fugir dos padrões e das respostas pré-definidas como as melhores práticas. Pensar de forma original e encontrar soluções inovadoras para os problemas.
– Inteligência interartificial: É a capacidade de entender as potencialidades da inteligência artificial e da robótica, não apenas para se proteger delas, como também para fazer parcerias com elas. Conhecer as potencialidades das novas tecnologias amplia a capacidade de pensar de forma criativa em soluções utilizando-a a nosso favor.
2. As 10 Habilidades do Futuro, resultado de uma pesquisa do Word EconomicForum
O WEF questionou especialistas em recursos humanos e em gestão estratégica das maiores empresas do mundo, buscando entender quais habilidades serão fundamentais para se ter sucesso no futuro. Futuro este que é quase amanhã, pois estamos falando de 2020!
A pesquisa lançou o relatório The Future of Jobs: Employment, SkillsandWorkforceStrategy for theFourth Industrial Revolution.Neste material, são reveladas as 10 habilidades que os profissionais deverão possuir até 2020 para não perder espaço no mercado de trabalho.
Segue abaixo essa lista:
1. Resolução de problemas Complexos
A habilidade, que consiste na capacidade de resolver problemas novos e indefinidos em ambientes reais, se constrói a partir de uma base sólida de pensamento crítico.O profissional do futuro deverá ter a elasticidade mental para resolver problemas que nunca viu antes, e que podem ficar mais complexos a cada minuto.
2. Pensamento crítico
O pensamento crítico envolve lógica e raciocínio. O profissional deve ser capaz de usar a lógica e o raciocínio para questionar determinado problema, considerar várias soluções para aquele obstáculo e colocar os “prós” e “contras” na balança, a cada nova abordagem.
3. Criatividade
Mesmo com toda a ascensão tecnologica, as máquinas não têm a capacidade criativa do ser humano.  E a demanda de novos produtos e novas tecnologias vêm exigindo dos profissionais uma boa dose de criatividade para que possam se beneficiar de todas essas mudanças.
4. Gestão de pessoas 
Mesmo com o avanço de áreas como inteligência artificial e a automação do trabalho, saber gerenciar pessoas significa saber motivar equipes, maximizar a produtividade e atender às necessidades dos funcionários. A gestão de pessoas é uma ferramenta muito importante e se conecta diretamente com a inteligência emocional pois funcionários sempre serão os recursos mais valiosos para qualquer empresa.
5. Coordenação com os outros 
De acordo com o relatório da WEF, as organizações estão privilegiando a contratação de profissionais com fortes habilidades interpessoais, que sejam capazes de relacionar bem com colegas de trabalho e superiores – em resumo, que saibam se comunicar, trabalhar com pessoas de diferentes personalidades e, acima de tudo, lidar com as diferenças encontradas em cada uma delas.
6. Inteligência Emocional 
A inteligência emocional compreende identificar nossos próprios sentimentos, para que possamos nos motivar e gerir as emoções dentro de nós. É uma habilidade social importante para os gestores e líderes.
 7. Julgamento e tomada de decisões
De acordo com relatório da WEF, o julgamento e tomada de decisões será uma habilidade fundamental no mercado de trabalho de 2020. Os profissionais do futuro deverão examinar números, encontrar insights nas informações analisadas e utilizar o Big Data para tomar decisões estratégias nas empresas. 
8. Orientação de serviço
Como os valores estão mudando rapidamente, saber orientar corretamente os clientes será uma habilidade essencial no mercado de trabalho. Mais do que saber orientar, o profissional deverá conhecer seu público, estudar seus clientes, para adaptar os produtos e serviços oferecidos à realidade dos clientes.
9. Negociação 
De acordo com o relatório, mesmo pessoas com cargos técnicos em breve deverão mostrar mais empenho em suas habilidades interpessoais. A capacidade de negociar com colegas, gestores, clientes e equipes estará no alto da lista de habilidades desejáveis.
10. Flexibilidade cognitiva
A flexibilidade cognitiva envolve ampliar as maneiras de pensar, imaginando diferentes caminhos para resolver os problemas que surgem diante de nós. Quanto mais flexível uma pessoa é, mais facilmente ela será capaz de enxergar novos padrões e fazer associações únicas entre ideias. E, de acordo com o relatório da WEF, é esse tipo de atitude que as empresas do futuro estarão aguardando ansiosamente. 
Por isso queremos trazer as seguintes reflexões:
  • Quem está se antecipando a essa tendência?
  • O que estamos fazendo para estar preparado?
  • Como nos preparar para este mercado de trabalho que muda constantemente as regras do jogo?
Trouxemos este tema que foi muito discutido no ano passado por entender que precisamos aprofundar mais a reflexão individual de como nos enquadramos neste novo cenário requerido pelo mercado. Conte conosco nessa jornada do desenvolvimento profissional.
Escrito por Bruna Leonardi – Especialista em Carreiras e Cofundadora da WakeUp Carreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *